ACESSEM RÁDIO, TV E REDE SOCIAL

Pesquisa

quinta-feira, 29 de novembro de 2018

As Aparições de Nossa Senhora em BEAURAING - Bélgica - 1932-1933

As Aparições de Nossa Senhora em BEAURAING - Bélgica - 1932-1933




Nossa Senhora de Beauraing

Dia 29 de novembro aniversário das Aparições
******************************88
FILME: VOZES DO CÉU 5  - AS APARIÇÕES DE BEAURAING (1932) e BANNEUX (1933) NA BÉLGICA
Edição e narração do vidente Marcos Tadeu Teixeira
Santuário das Aparições de Jacareí - SP - Brasil
PEDIDOS PELO TEL: 0XX12 99701 2427
************************************
Os videntes
 
 

As irmãs Andreia e Gilberta Degeimbre, de 14 e 9 anos respectivamente, e outros três irmãos, Fernanda, Alberto e Gilberta Voisin, de 15, 11 e 7 anos.

A mensagem



Na tarde de 29 de Novembro de 1932

As duas irmãs Degeimbre e os dois irmãos Alberto e Fernanda Voisin, dirigem-se para a escola das religiosas, para irem buscar a mais nova dos Voisin, Gilberta. Já tinha caído a noite e fazia frio.

No fim da rua da igreja, onde era a escola das irmãs, elevam-se dois pilares que sustentam um viaduto. Alberto, chegados à parta da escola, volta-se na direcção dos pilares e é aí que vê uma forma branca, semelhante à imagem de Nossa Senhora de Lourdes que estava numa reprodução da gruta de Lourdes, que havia no jardim da escola. Perante a exclamação de Alberto, todas as crianças se viraram e viram uma pessoa vestida de branco que flutuava no ar entre o viaduto e gruta da Virgem de Lourdes. Aparece entretanto a pequena Gilberta à porta da escola e, não sabendo de nada, vê também "uma mulher vestida de branco e de mãos juntas, e que olhava para ela". As religiosas, alertadas pelas palavras das crianças, disseram que uma imagem (a da gruta de Lourdes) não podia mexer e mandaram-nas para casa.
No dia seguinte, o mesmo grupo deslocou-se à escola à mesma hora. Lá estava Nossa Senhora com o mesmo aspecto, deslocando-se no ar.

No dia 1 de Dezembro

Novamente as crianças se dirigiram ao local, seguidas de cerca de doze pessoas entre as quais a mãe Degeimbre munida dum varapau.

A Virgem aguardava as crianças no caminho que vai desde o gradeamento do jardim da escola até à gruta. A visão durou apenas instantes, o tempo de ver uma luz mais intensa que das outras vezes e que a cabeça da virgem estava rodeada duma coroa feita de numerosos raios dourados que lhe cingia a fronte. Tinham também brilhantes olhos azuis que contemplavam as crianças com extrema doçura.

Feitas as inspecções sem sucesso pela Sra. Degeimbre e pelos outros, as crianças preparavam-se para voltar a casa quando deram um grito e, diante delas, em cima duma nuvem junto ao chão, estava a Virgem de mãos juntos e de olhos virados para o céu. As crianças caíram em êxtase. Quando a imagem desapareceu, abrindo os braços para as saudar e abençoar, sempre sem dizer uma palavra, as crianças saíram do êxtase. Mas, poucos passos à frente, viram de novo a Virgem e não foi pela última vez nesse dia. As mães dos videntes decidiram voltar à gruta para mais inspecções, As crianças foram atrás delas e cerca das oito da noite, depois de terem ultrapassado o gradeamento, Alberto, Fernanda e Andreia caíram de joelhos: a Virgem tinha voltado e estava debaixo dum arbusto, um tronco de espinheiro.

A Virgem apareceu neste local mais de 30 vezes. A Madre Superiora proibiu que as crianças fossem à escola no dia seguinte. As crianças obedeceram mas passaram a noite a rezar e a chorar.

Todas as aparições acorreram ao fim do dia, o que deu origem a uma grande afluência. Nos primeiros dias a Santa Senhora parecia esperar pelas crianças. Apareceu-lhes enquanto rezavam o terço. Quando a viram, as suas vozes tornaram-se mais agudas e mais altas parecendo uma só voz. Algumas centenas de pessoas rezavam com elas durante este silêncio puro. As religiosas que escutam esta maravilha, que terão elas pensado? A verdade é que não apareceram e conservaram o gradeamento fechado. Então, em 8 de Dezembro, de manhã muito cedo, confessa-se um grande número de pessoas, muitas delas claramente convertem-se. Um número enorme recebe a comunhão. Depois da missa há uma procissão aos troncos de espinheiro. Começa a vir gente de toda a parte da Bélgica.

Às três horas da tarde, o terreno do convento está cheio de gente, bem como a rua. A polícia mantém a ordem e entoa-se o cântico: "Estende as tuas mãos abençoadas sobre toda a Bélgica". O espaço em torno dos espinheiros está cheio de velas acesas e então, o gradeamento do convento é fechado o que não foi muito fácil. As velas são apagadas e a polícia continua a patrulhar o lugar para proteger a propriedade das religiosas e impedir que as pessoas forcem o gradeamento.

Às 18 horas, as crianças chegam e ouve-se uma voz que diz: "Ela está aqui!!" Caem de joelhos e rezam a Avé Maria. Pedem a Nossa Senhora que fale mas ela faz só um sorriso. Então todos rezam o terço inteiro e a aparição permanece visível durante todo o tempo.

Há seis médicos que querem ver as crianças e examiná-las. Passam uma lâmpada eléctrica diante dos olhos de uma das crianças, um médico enfia uma agulha profunda noutra criança e coloca um fósforo aceso em cima da mão de uma das meninas, o fósforo arde até ao fim, mas não aparece nenhum sinal de queimadura. Os médicos concordam todos que as crianças estão em êxtase total.

As crianças são interrogadas em separado, mas não surgem diferenças entre o que cada uma diz. É admirável escutar o que a mais nova diz quanto à aparência da Senhora. Mas as pessoas perceberam que Nossa Senhora apareceu.

Finalmente, a Senhora diz quem é, respondendo a uma pergunta de Alberto:


Sou a Virgem Imaculada.

E Alberto continua: "Que quer de nós?"

A Virgem responde:


Quero que sejais sempre muito bons.

Em 23 de Dezembro, diz:


Queria que se construísse aqui uma igreja para que as pessoas possam vir em peregrinação.

Em 29 de Dezembro, Fernanda ouve dizer-lhe:


Rezai sempre.

Ao mesmo tempo, Fernanda vê aparecer sobre o peito da Virgem um coração de ouro resplandecente.

E também em 2 de Janeiro, Nossa Senhora diz:


Amanhã direi a cada um de vós, algo de muito especial.

Em 3 de Janeiro é o último dia das aparições e definitivamente o dia mais importante para os anúncios. Alberto recebe um segredo que nunca revelou e sua irmã Gilberta também.

Mas Gilberta, a mais crescida, ouve a grande promessa de Beauraing:


Converterei os pecadores.

E a Andreia, confirma a sua identidade:


Sou a Rainha do Céu e a Mãe de Deus. Rezai sempre.

A Fernanda, que ao princípio não se tinha dado conta de nada e que por isso continuava a rezar mais afincadamente, Nossa Senhora disse:


Amas o meu Filho? Amas-me? Então oferece-te a mim!

******************************************************************



Papa João Paulo II ajoelhado em frente a imagem de Nossa Senhora de Beauraing

Reconhecimento pela Igreja



Em Fevereiro de 1943, D. Charue autorizou a devoção pública a Maria, em Beauraing, mas foi apenas em 1949, depois da Segunda Guerra Mundial, que o santuário foi oficialmente reconhecido e que saíram dois documentos importantes. O primeiro tratava de duas das muitas curas que tiveram lugar em Beauraing, declarando-as milagrosas.

O segundo documento era um carta dirigida ao clero em que o bispo dizia "estamos habilitados para dizer com toda a serenidade e prudência que a Rainha do Céu apareceu às crianças de Beauraing, durante o Inverno de 1932-1933, especialmente para nos mostrar com o seu coração maternal, o apelo intenso à oração e a promessa da sua poderosa mediação pela conversão dos pecadores."

Aparições de Nossa Senhora em Beauraing


Aparições reconhecidas pela Igreja em 1949. Beauraing pronuncia-se “bôrran” e é um pequeno povoado da Bélgica. Nossa Senhora apareceu 33 vezes em Beauraing. Na maioria dessas aparições, ela não disse nada, apenas sorria para os videntes nessas aparições em frente à escola. Todas as mensagens de Nossa Senhora em Beauraing foram apenas pequenas frases, mas muito significativas. Veja como foram todas as aparições de Beauraing:


1ª aparição, 29 de novembro de 1932: Ao anoitecer deste dia, pelas 18h30min, Fernande Voisin, 15 anos e seu irmão Albert, 11, foram buscar sua irmã Gilberte, 13, na escola das Irmãs da Doutrina de Cristo. Eles estavam com as amigas Andrée Degeimbre, 14, e sua irmã Gilberte de 9 anos. Em frente esta escola, havia uma ponte e um jardim com algumas árvores. Ventava e fazia muito frio. As crianças tocaram a campainha e esperaram a irmã buscar Gilbert. Enquanto isso, Albert vê Nossa Senhora no jardim, pairando no ar perto da ponte. Ele conta para as meninas e elas pensam que é brincadeira. Como o menino não pára de olhar, elas também olham e vêem a aparição. Assustadas, as crianças batem com força na porta da escola chamando por socorro. A irmã Valérie chega para ver. As crianças lhe mostram onde está Nossa Senhora, mas a irmã não vê nada e diz que é uma besteira. Mas Gilberte Voisin chega e também vê a aparição. Todos voltam para casa preocupados e contam o ocorrido aos familiares. Eles não acreditam e dizem que é uma bobagem. As crianças ficam tristes, choram e rezam.

2ª aparição, 30 de novembro de 1932: As crianças voltaram na mesma hora à escola para buscar Gilbert e Nossa Senhora apareceu por alguns instantes sobre um espinheiro sem dizer nada, apenas sorria. Ela era uma linda moça de uns 20 anos. Tinha a pele e lábios rosados, sobrancelhas pretas. Usava um vestido branco com tons azulados e um longo véu branco na cabeça. Ela tinha as mãos postas e os olhos azuis. Raios finos e dourados saíam de sua cabeça formando uma coroa.

3ª, 4ª, 5ª e 6ª aparição, 1º de dezembro de 1932: Nossa Senhora aparece novamente acima da ponte. Desaparece e reaparece no arbusto de azevinho. Ela desaparece e reaparece de novo debaixo da árvore de espinheiro. Ela sorriu para as crianças, mas não disse nada.

7ª aparição, 2 de dezembro de 1932: As crianças perguntam: "A Senhora é a Virgem Imaculada?” Ela acena afirmativamente com a cabeça. As crianças perguntam também: "O que a Senhora quer de nós?" A Senhora responde: "Sejam sempre bons." As crianças respondem humildemente: "Sim, nós seremos sempre bons."

8ª aparição, 2 de dezembro de 1932: Mais tarde desta mesma noite, pelas nove horas, as crianças voltam. A Senhora aparece e é ela quem pergunta: "Vocês serão sempre bons?" As crianças respondem: "Sim, nós sempre seremos." A palavra que Nossa Senhora usou em francês na ocasião foi “sages”, que significa “sábios”, mas corresponde ao nosso “bons”.

9ª aparição, 4 de dezembro de 1932: Nossa Senhora aparece com as mãos cruzadas, olha para o céu ou olha para as crianças. As multidões começam a ir a Beauraing para as aparições. Os pais ficam muito preocupados. Pressionam as crianças severamente e elas choram.

10ª aparição, 4 de dezembro de 1932: As crianças pedem: "Se você é a Virgem Maria, pedimos que cure o nosso pequeno amigo, Joseph, e o tio de Andree." Mas Nossa Senhora não responde. As crianças perguntam: "Que dia a Senhora voltará?" Ela responde: "No dia da Imaculada Conceição.”Perguntam: "Devemos construir uma capela?" Ela diz: "Sim.”

11ª aparição, 5 de dezembro de 1932: As crianças pedem para a Senhora fazer um milagre à luz do dia, mas ela não responde. Perguntam quando devem voltar. Ela responde: “À noite.”

12ª aparição, 5 de dezembro de 1932: A Senhora apareceu novamente à noite com as mãos entrelaçadas e olhava para o céu. De repente, abriu os braços. É pequena, bonita e jovem. Sua voz é suave. Não segura um Terço e as crianças não vêem o cabelo dela.

13ª aparição, 6 de dezembro de 1932: Nossa Senhora segurava um Terço pela primeira vez. As crianças eram interrogadas o dia todo. Todos os que falaram com elas, acharam-nas muito simples e sinceras.

14ª aparição, 6 de dezembro de 1932: Nossa Senhora voltou apenas para dizer: "Venham no dia da Imaculada Conceição.”

15ª aparição, 7 de dezembro de 1932: A Virgem apenas olhou para o céu. As multidões continuam vindo em número cada vez maior.

16ª aparição, 8 de dezembro de 1932: Nesse dia da Imaculada Conceição, Nossa Senhora estava linda. Não disse nada, mas estava mais brilhante do que nos outros dias, segundo as crianças. Uma multidão enorme de pessoas estava presente. Nos dias seguintes, as pessoas de toda a Bélgica continuaram a vir para rezar no local e hora das aparições, mas Nossa Senhora não apareceu.

17ª aparição, 13 de dezembro de 1932: Nossa Senhora voltou a aparecer para as crianças, pressionadas o dia inteiro por interrogatórios, mas não disse nada.

18ª aparição, 14 de dezembro de 1932: Nossa Senhora apenas sorriu para seus humildes videntes e os olhava com seus belos olhos azuis, cheios de bondade. Ela não voltou nos dois dias seguintes, apesar do povo que deseja sua aparição.

19ª aparição, 17 de dezembro de 1932: As crianças perguntam: "Em nome do clero, o que podemos fazer por você?" A linda moça responde:"Uma capela.” Nossa Senhora não apareceu no dia seguinte.

20ª aparição, 19 de dezembro de 1932: As crianças contam: "Ela não tem cinto, mas reflexos azuis. Ela permaneceu em silêncio, sorrindo, olhando agora para o céu, agora para nós. Somos forçados a cair de joelhos.”

21ª aparição, 20 de dezembro de 1932: Nossa Senhora volta novamente alegre e sorridente. O povo espera alguma mensagem, mas ela não disse nada nessa noite. Ela aparece e desaparece abruptamente, como luz elétrica, na descrição infantil dos videntes.

22ª aparição, 21 de dezembro de 1932: Os videntes perguntam: "Diga-nos quem você é, diga-nos o seu nome?" Ela responde: "Eu sou a Virgem Imaculada.”

23ª aparição, 22 de dezembro de 1932: Nossa Senhora veio silenciosa. Tem as mãos entrelaçadas e abre os braços antes de desaparecer. Veio usando um Terço no braço e sorriu para todos.

24ª aparição, 23 de dezembro de 1932: As crianças perguntam: "Por que aparece aqui em Beauraing?" Ela responde: "Para que venham aqui em peregrinação.” "Se você é a Virgem Imaculada, podemos esperar algo em breve? Você vai nos dar um sinal?" Nossa Senhora não responde.

25ª aparição, 24 de dezembro de 1932: Muitas pessoas estão presentes na cidade durante todo o dia. O povo esperava alguma mensagem espetacular, mas Nossa Senhora não deu mensagem hoje e não voltou nos dois dias seguintes.

26ª aparição, 27 de dezembro de 1932: Muitas pessoas não entendem a maneira das aparições. E Nossa Senhora voltou nesse dia sem dar mensagens nem explicar suas aparições.

27ª aparição, 28 de dezembro de 1932: Nossa Senhora avisou para as crianças: "Em breve será a minha última aparição. Em breve será a última vez que eu venho."

28ª aparição, 29 de dezembro de 1932: Quando Nossa Senhora abriu os braços, no peito onde normalmente tem as mãos juntas, havia um Coração de ouro, brilhante e cercado por pequenos raios. Ela voltou com seu Coração dourado nos dias seguintes. Nossa Senhora de Beauraing é conhecida como a Virgem do Coração de ouro.

29ª aparição, 30 de dezembro de 1932: Nossa Senhora deu a pequena mensagem: “Rezem, rezem muito.”

30ª aparição, 31 de dezembro de 1932: A Senhora veio, mas não deu mensagem.

31ª aparição, 1º de janeiro de 1933: Nossa Senhora disse: “Rezem sempre.”

32ª aparição, 2 de janeiro de 1933: A Senhora avisa: "Amanhã, eu vou dizer uma coisa para cada um de vocês individualmente."


33ª e última aparição, 3 de janeiro de 1933: Nossa Senhora contou um segredo a Albert, Gilbert Degeimbre e a Gilberte Voisin. Depois diz a Gilberte: "Vou converter os pecadores." Ela disse a Andrée: “Eu sou a Mãe de Deus, a Rainha dos Céus. Rezem sempre." Ela disse a Fernande Voisin: “Você ama o meu Filho? Você me ama? Sacrifique-se por mim." Nossa Senhora abriu os braços mostrando a todos os seu Coração de ouro e se despediu dizendo: "Adeus.”

Devemos lembrar que o fato de Nossa Senhora sorrir já é uma mensagem de alegria e esperança. Quando ela não responde a alguma pergunta feita pelas crianças é porque não devemos nos preocupar com aquele assunto. E as palavras que ela disse são de grande importância e profundidade. Depois do término das aparições, os videntes sofreram muitas dificuldades. 

Moradores da cidade e o próprio sacerdote da paróquia não acreditavam. Muitos não entendiam porque Nossa Senhora falou poucas palavras e não fez nenhum sinal espetacular como em Fátima. Mas as multidões continuaram indo ao local das aparições e curas milagrosas começaram a acontecer pela intercessão de Nossa Senhora de Beauraing. 

O bispo de Namur nomeou uma comissão para investigar os fatos em 1935 e essas aparições foram reconhecidas como autênticas em 1949. Em 1954, ficou pronto o Santuário pedido por Nossa Senhora e que hoje atrai milhões de visitantes todos os anos. 

Todos os videntes se casaram e tiveram filhos. Andrée Degeimbre teve 3 filhos. Era sensível e fiel, sempre rezava o Terço com o povo às 18h30min, hora das aparições, mesmo debaixo de neve. A última vez que rezou em público foi em 29 de novembro de 1977, 45º aniversário das aparições. Ela morreu em 1978, com 60 anos. Fernande Voisin teve 5 filhos e se tornou enfermeira. Morreu de câncer em 1979, aos 62 anos. Gilberte Voisin casou-se, mas ficou viúva com os 2 filhos. Ela morreu aos 83 anos, num acidente em Beauraing no dia 3 de janeiro de 2003, no mesmo dia da aparição em que Nossa Senhora lhe disse a linda frase: “Vou converter os pecadores.” Albert Voisin se tornou professor e teve 3 filhos. Morou na Irlanda, Alemanha, Congo Belga e voltou para Beauraing onde morreu em 23 de dezembro de 2003, com 82 anos após longa enfermidade e na mesma data de uma das aparições. Gilbert Degeimbre casou-se com um italiano, tem 2 filhos e mora atualmente em Beauraing. 

A frase dita por Nossa Senhora a Fernande pode ser traduzida para o plural também, ficando: "Vocês amam o meu Filho? Vocês me amam? Sacrifiquem-se por mim!"

sexta-feira, 12 de outubro de 2018

12 DE OUTUBRO - DIA DE NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO APARECIDA - MÃE, SENHORA, RAINHA E PADROEIRA DO BRASIL

REDE SOCIAL, TV E RÁDIO



12 de outubro é o dia da Padroeira do Brasil, Nossa Senhora da Imaculada Conceição Aparecida, nossa Mãe Santíssima, Maria, Mãe de Nosso Senhor Jesus Cristo.

FILME: O Milagre das Águas APARECIDA - Filme Nossa Senhora Aparecida

APARIÇÃO DE NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO APARECIDA 
BREVE RELATO 

JACAREÍ, 12 DE OUTUBRO DE 2011
CAPELA DO SANTUÁRIO DAS APARIÇÕES DE JACAREÍ – SP – BRASIL
FESTA DE NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO APARECIDA
MENSAGEM DE NOSSA SENHORA COMUNICADA AO VIDENTE MARCOS TADEU TEIXEIRA
MENSAGEM DE NOSSA SENHORA

"-Meus filhos queridos! Hoje, quando vós comemorais a MINHA FESTA COMO A RAINHA E A PADROEIRA DO BRASIL, da vossa nação, Eu venho a vós mais uma vez para dizer-vos: Sou a Senhora Aparecida no Céu, nas águas do Rio Paraíba e no firmamento do Senhor.
Eu Sou a Mulher vestida de Sol, o grande sinal que apareceu neste País e que aparece em tantas nações da Terra, chamando todos os Meus filhos à conversão, à oração, à felicidade e à paz!

Sou a Mulher vestida de Sol Aparecida, e por isso Eu Me manifestei neste País há quase três séculos atrás, através da Imagem da Minha Imaculada Conceição para dizer-vos que Sou a Mulher do Gênesis prometida por Deus para esmagar a cabeça da serpente infernal e trazer-vos o Redentor. Sou também a Senhora do Apocalipse, que vai esmagar e prender com a grossa corrente de ferro o dragão infernal no abismo eterno, de onde não mais poderá sair para fazer mal a Terra e aos Meus filhos.

Sou, portanto, terrível como um exército em ordem de batalha, avanço cada dia com o Meu exército de oração composto pelos Meus pequeninos filhos, que Me obedecem, que Me escutam, que Me seguem, que me amam e que trilham sempre mais a estrada do amor, da fé, da conversão, da santidade e da prática de todas as virtudes que Eu tenho ensinado nas Minhas Aparições e que com a Minha própria vida dou a conhecer, a imitar e a praticar a todos os Meus filhos que Me seguem.

Dia após dia sigo com Meu exército dando passos firmes e decididos rumo a grande vitória do Meu Coração Imaculado. Para pertencer a este Meu exército, Eu não exijo uma santidade consumada já de início, apenas peço: boa vontade e docilidade á Minha voz! O resto Eu farei e vos conduzirei a uma santidade sempre mais sublime, sempre mais alta, sempre mais consumada e perfeita para a maior glória da Santíssima Trindade.

Segui a Minha voz! Escutai o Meu chamado, caminhai pela estrada que há trezentos anos aqui neste país vos apontei, com as Minhas Mãos postas na imagem que fiz surgir das águas do Meu rio Paraíba do Sul.

REZAI, REZAI E REZAI!

Rezando vós seguireis sempre mais o caminho que tracei para vós, cumprireis a vontade do Senhor com acerto e sempre mais conseguireis morrer para vós mesmos, renunciar a vossa vontade e fazer a vontade do Senhor.
EU SOU A MULHER VESTIDA DE SOL APARECIDA, que surge para vós com um sinal brilhantíssimo no meio das trevas da vossa noite. 

Aquilo que Eu fiz no Milagre das Velas enquanto os Meus filhinhos Me rezavam o Terço na sua pobre casa há tantos séculos atrás e aquilo que o Meu filhinho Marcos vos explicou antes da Aparição é bem verdadeiro, é pela oração do ROSÁRIO, é pela oração do Terço que Eu vou iluminar as vossas vidas, que Eu vou encher as vossas almas da luz do Senhor e por isso os vossos passos não serão mais errantes, vacilantes, mas serão passos acertados, decididos, firmes e velozes no caminho do cumprimento da vontade do Senhor.

Grande graça do Meu CORAÇÃO IMACULADO são os ROSÁRIOS MEDITADOS gravados que o Meu filhinho Marcos já fez e já deu para vocês. Por estes Rosários ilumino as vossas vidas, as vossas almas, conduzo-vos sempre mais pelo caminho do perfeito amor. Levo-vos sempre a uma entrega mais profunda, mais perfeita, mais total, incondicional e irrestrita de vós mesmos a Deus, à Sua vontade e ao Meu Plano de Amor. Encho-vos sempre mais dos Meus próprios sentimentos, inclino-vos a todas as virtudes, faço-vos sempre mais aproximar-vos de Deus, do Meu Coração e realizo em vós grandes graças, tornando-vos verdadeiras tochas, verdadeiras chamas de amor místico que irão aquecer este deserto gelado e sem amor que se tornou esta pobre humanidade decaída. E através dos quais poderei iluminar este mundo que agora terminou de ser dominado pelas trevas, do pecado, da apostasia, da violência, da rebelião contra o Senhor e Seus Mandamentos, de forma que, por meio de vós Eu poderei novamente iluminar o mundo, dissipar toda a treva de Satanás e banir todo o mal da face da Terra, da vida das Nações e dos Meus filhos em particular.

Eu Sou a Senhora vestida de Sol APARECIDA e como tal quero sempre mais conduzir-vos pela estrada do bem, da graça, da paz, do amor, da santidade completa, pois desde há trezentos anos atrás o que Eu vim procurar nesta Terra do Brasil, nesta Terra de Santa Cruz foram santos. Eu vim para suscitar santos e para entregá-los ao Senhor como uma grande, bela e maravilhosa pescaria da qual Eu mesma me ocupo todos os dias e procuro realizar todos os dias dando ao Meu filho Jesus, à Santíssima Trindade, sempre mais e mais peixes, mais e mais almas pescadas pelo Meu Amor e cativas na rede do Meu Amor e da Minha Misericórdia.
Eu, quero dar-vos todos à Santíssima Trindade como um dom, como primícia desta grande Nação, que a própria Santíssima Trindade Me deu e confiou aos Meus cuidados maternais.

Sede dóceis à Minha voz, para que agora tudo o que planejei desde há trezentos anos atrás, finalmente se cumpra e Eu possa realizar em vós o Meu materno desígnio de Amor até a Sua gloriosa conclusão com o TRIUNFO DO MEU CORAÇÃO IMACULADO!
USAI TODOS OS SACRAMENTAIS, TODAS AS MEDALHAS QUE AQUI EU VOS DEI.
PREPARAI-VOS PARA RECEBER A MEDALHA DO CORAÇÃO DO MEU ESPOSO JOSÉ, POR MEIO DA QUAL VÓS TEREIS AUMENTADO AINDA MAIS O INFLUXO DE GRAÇAS SOBRE AS VOSSAS ALMAS.

USAI A MINHA MEDALHA DAS LÁGRIMAS QUE EU REVELEI À MINHA FILHINHA AMÁLIA AGUIRRE, JUSTAMENTE AQUI, NESTA TERRA DE SANTA CRUZ, O BRASIL, PARA SER UM DOM PARA O MUNDO INTEIRO, MAS TAMBÉM ESPECIALMENTE PARA VÓS MEUS FILHOS.
EU, A PARTIR DE HOJE CONCEDO A TODOS OS MEUS FILHOS QUE USAREM ESTA MINHA MEDALHA A INDULGÊNCIA PLENÁRIA TODOS OS SÁBADOS, TODAS AS SEMANAS, OU SEJA, A REMISSÃO COMPLETA DAS CULPAS PARA TODOS OS MEUS FILHOS QUE USAREM A MINHA MEDALHA COM AMOR E DEVOÇÃO SOBRE O PESCOÇO. ESTA INDULGÊNCIA QUE VÓS LUCRAREIS TODOS OS SÁBADOS É MAIS UM DOM DO MEU AMOR QUE EU ALCANCEI DA SANTÍSSIMA TRINDADE PELO GRANDE AMOR QUE ELA ME TEM EM PRIMEIRO LUGAR, E EM SEGUNDO LUGAR PELO GRANDE AMOR QUE NÓS TEMOS A ESTE SANTUÁRIO, AO MEU FILHO MARCOS E A CADA UM DE VÓS QUE ME ESCUTAIS AGORA EM PARTICULAR.

Continuai fazendo todas as orações que Eu vos dei Aqui, a TREZENA, a SETENA, a HORA DA PAZ e todas as demais. Para que assim, Eu possa finalmente cumprir e finalizar o Meu Plano de Salvação iniciados com as Minhas manifestações em APARECIDA e que Aqui nas APARIÇÔES DE JACAREÍ terão a sua gloriosa e exitosa conclusão.

A todos, neste momento, abençôo generosamente de FÁTIMA, de APARECIDA e de JACAREÍ.

A Paz Meus filhos, ficai em Paz. A Paz a ti Marcos, o mais esforçado e querido dos Meus filhos.”
******************************************


SINOS DA BASÍLICA VELHA DE NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO APARECIDA - BRASIL


SANTUÁRIO DE NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO APARECIDA - BRASIL




O seu santuário localiza-se em Aparecida, no estado de São Paulo, e a sua festa é comemorada anualmente em 12 de outubro.
Há duas fontes sobre o achado da imagem, que se encontram no Arquivo da Cúria Metropolitana de Aparecida (anterior a 1743) e no Arquivo Romano da Companhia de Jesus, em Roma.

A história foi primeiramente registrada pelo Padre José Alves Vilela em 1743 e pelo Padre João de Morais e Aguiar em 1757, registro que se encontra no Primeiro Livro de Tombo da Paróquia de Santo Antônio de Guaratinguetá.

A Pescaria Milagrosa

A sua história tem o seu início em meados de 1717, quando chegou a Guaratinguetá a notícia de que o conde de Assumar, D. Pedro de Almeida e Portugal, governador da então Capitania de São Paulo e Minas de Ouro, iria passar pela povoação a caminho de Vila Rica (atual cidade de Ouro Preto), em Minas Gerais.

Desejosos de obsequiá-lo com o melhor pescado que obtivessem, os pescadores Domingos Garcia, Filipe Pedroso e João Alves lançaram as suas redes no rio Paraíba do Sul.

Depois de muitas tentativas infrutíferas, descendo o curso do rio chegaram a Porto Itaguaçu, a 12 de outubro.

Já sem esperança, João Alves lançou a sua rede nas águas e apanhou o corpo de uma imagem de Nossa Senhora da Conceição sem a cabeça. Em nova tentativa apanhou a cabeça da imagem.


Envolveram o achado em um lenço. Daí em diante, os peixes chegaram em abundância para os três humildes pescadores.

Felipe Pedroso levou a imagem para sua casa conservando-a consigo até 1732, quando a entregou a seu filho Atanisiso Pedroso.
Este construiu um pequeno oratório onde colocou a imagem da Virgem, que ali permaneceu até 1743.

Todos os sábados, a vizinhança reunia-se no pequeno oratório para rezar o terço.
Devido à ocorrência de milagres, a devoção a Nossa Senhora começou a se divulgar, com o nome dado pelo o povo de Nossa Senhora Aparecida.

Diversas vezes as pessoas que à noite faziam diante dela as suas orações, viam luzes de repente apagadas e depois de um pouco reacendidas sem nenhuma intervenção humana.

Logo, já não eram somente os pescadores os que vinham rezar diante da imagem, mas também muitas outras pessoas das vizinhanças.

Capela das Velas em Aparecida

A família construiu um oratório no Porto de Itaguaçu, que logo se mostrou pequeno.

A devoção foi crescendo entre o povo da região e muitas graças foram alcançadas por aqueles que oravam diante da imagem.

A fama dos poderes extraordinários de Nossa Senhora foi se espalhando pelas regiões de todo Brasil.

Por volta de 1734, o vigário de Guaratinguetá construiu uma capela no alto do morro dos Coqueiros, aberta à visitação pública em 26 de julho de 1745.A 26 de julho de 1745 foi inaugurada a primeira capela. 

Basílica Velha

Em 1834 foi iniciada a construção de uma igreja maior (a atual Basílica Velha) para acomodar e receber os fiéis que aumentavam significadamente, sendo solenemente inaugurada e benzida em 8 de dezembro de 1888.

Em 6 de novembro de 1888, a princesa Isabel visitou pela segunda vez a basílica e ofertou à santa, em pagamento de uma promessa (feita em sua primeira visita, em 08 de dezembro de 1868), uma coroa de ouro cravejada de diamantes e rubis, juntamente com um manto azul, ricamente adornado.

Em 1893, o Bispo diocesano de São Paulo, Dom Lino Deodato Rodrigues de Carvalho, elevou-o à dignidade de "Episcopal Santuário de Nossa Senhora da Conceição Aparecida".

Em 28 de outubro de 1894, chegou a Aparecida um grupo de padres e irmãos da Congregação dos Missionários Redentoristas, para trabalhar no atendimento aos romeiros que acorriam aos pés da imagem para rezar com a Senhora "Aparecida" das águas.

A 8 de setembro de 1904, por ordem do Papa Pio X, a imagem milagrosa foi solenemente coroada com a riquíssima coroa doada pela Princesa Isabel e portando o manto anil, bordado em ouro e pedrarias, símbolos de sua realeza e patronato.


A celebração solene foi dirigida por D. José Camargo Barros, com a presença do Núncio Apostólico, muitos bispos, o Presidente da República Rodrigues Alves e numeroso povo.

Depois da coroação o Santo Padre concedeu ao santuário de Aparecida mais outros favores: Ofício e missa própria de Nossa Senhora Aparecida, e indulgências para os romeiros que vêm em peregrinação ao Santuário.

No dia 29 de Abril de 1908, a igreja recebeu o título de Basílica Menor, sagrada a 5 de setembro de 1909 e recebendo os ossos de são Vicente Mártir, trazidos de Roma com permissão do Papa.

Em 17 de dezembro de 1928, a vila que se formara ao redor da igreja no alto do Morro dos Coqueiros tornou-se Município, vindo a se chamar Aparecida, em homenagem a Nossa Senhora, que fora responsável pela criação da cidade.

A Rainha e Padroeira do Brasil


Nossa Senhora da Conceição Aparecida, foi proclamada Rainha do Brasil e sua Padroeira Oficial em 16 de julho de 1930, por decreto do Papa Pio XI, sendo coroada, "para promover o bem espiritual dos fiéis e aumentar cada vez mais a devoção à Imaculada Mãe de Deus".

Pela Lei nº 6.802 de 30 de junho de 1980, foi decretado oficialmente feriado no dia 12 de outubro, dedicando este dia a devoção.
Também nesta Lei, a República Federativa do Brasil reconhece oficialmente Nossa Senhora Aparecida como padroeira do Brasil.

Em 1967, ao completar-se 250 anos da devoção, o papa Paulo VI ofereceu ao Santuário a “Rosa de Ouro”, reconhecendo a importância da santa devoção.


Em 1952 iniciou-se a construção da nova Basílica Nacional de Nossa Senhora Aparecida, solenemente dedicada em 4 de julho de 1980 pelo papa João Paulo II, que em sua histórica visita ao Brasil, consagrou a Basílica Nova, o maior santuário mariano do mundo, em solene missa celebrada, revigorando a devoção à Santa Maria, Mãe de Deus e sagrando solenemente aquele grandioso monumento construído com o carinho e devoção do povo brasileiro.


Centenário da Coroação

No mês de maio de 2004 o papa João Paulo II concedeu indulgências aos devotos de Nossa Senhora Aparecida, por ocasião das comemorações do centenário da coroação da imagem e proclamação de Nossa Senhora como Padroeira do Brasil.
Após um concurso nacional, devotos e autoridades eclesiais elegeram a Coroa do Centenário, que marcaria as festividades do jubileu de coroação realizado naquele ano.

Descrição da imagem


A imagem retirada das águas do rio Paraíba em 1717, é de terracota e mede quarenta centímetros de altura. 

Em estilo seiscentista, como atestado por diversos especialistas que a analisaram (Dr. Pedro de Oliveira Ribeiro Neto, os monges beneditinos do Mosteiro de São Salvador, na Bahia, Dom Clemente da Silva-Nigra e Dom Paulo Lachenmayer), acredita-se que originalmente apresentaria uma policromia, como era costume à época, embora não haja documentação que o comprove.

A argila utilizada para a confecção da imagem é oriunda da região de Santana do Parnaíba, na Grande São Paulo. 

Quando foi recolhida pelos pescadores, o corpo estava separado da cabeça e, muito provavelmente, sem a policromia original, devido ao período em que esteve submersa nas águas do rio.

A cor de canela com que se apresenta hoje deve-se à exposição secular à fuligem produzida pelas chamas das velas, lamparinas e candeeiros, acesas pelos seus devotos.

Em 1978, após sofrer um atentado que a reduziu a quase duzentos fragmentos, foi encaminhada ao Prof. Pietro Maria Bardi (à época diretor do Museu de Arte de São Paulo (MASP), que a examinou, juntamente com o dr. João Marinho, colecionador de imagens sacras brasileiras.

Foi então totalmente restaurada, no MASP, pelas mãos da artista plástica Maria Helena Chartuni.

Embora não seja possível determinar o autor ou a data da confecção da imagem, através de estudos comparativos concluiu-se que ela pode ser atribuída a um discípulo do monge beneditino frei Agostinho da Piedade, ou, segundo Silva-Nigra e Lachenmayer, a um do seu irmão de Ordem, frei Agostinho de Jesus.


Apontam para esses mestres as seguintes características:

forma sorridente dos lábios;

queixo encastoado, tendo, ao centro, uma covinha;

penteado e flores nos cabelos em relevo;

broche de três pérolas na testa;

e porte corporal empinado para trás.

Primeiros Milagres

Sala dos ex-votos em Aparecida

Milagre das Velas

Estando a noite serena, repentinamente as duas velas que iluminavam a Santa se apagaram.
Houve espanto entre os devotos, e Silvana da Rocha, querendo acendê-las novamente, nem tentou, pois elas acenderam por si mesmas.
Este foi o primeiro milagre conhecido de Nossa Senhora, ocorrido mais provavelmente em 1733.

 
Capela das velas, Aparecida.

Caem as Correntes

Em meados de 1850, um escravo chamado Zacarias, preso por grossas correntes, ao passar pela igreja onde se encontrava a imagem, pede ao feitor permissão para rezar. Recebendo autorização, o escravo se ajoelha diante de Nossa Senhora Aparecida e reza fervorosamente. Durante a oração, as correntes, milagrosamente, soltam-se de seus pulsos deixando Zacarias livre.

Cavaleiro e a Marca da Ferradura

Um cavaleiro de Cuiabá, passando por Aparecida, ao se dirigir para Minas Gerais, viu a fé dos romeiros e começou a zombar, dizendo, que aquela fé era uma bobagem.
Quis provar o que dizia, entrando a cavalo na igreja.


Logo na escadaria, a pata de seu cavalo se prendeu na pedra da escada da igreja (Basílica Velha), vindo a derrubar o cavaleiro de seu cavalo, após o fato, a marca da ferradura ficou cravada da pedra.
O cavaleiro arrependido, pediu perdão e se tornou devoto.

A menina cega

Mãe e filha caminhavam às margens do Rio Paraíba do Sul, quando surpreendentemente a filha cega de nascença comenta surpresa com a mãe : "Mãe como é linda esta igreja" Basílica Velha.
Daquele momento em diante, a menina começa a enxergar.


O Menino no Rio

O pai e o filho foram pescar. Durante a pescaria, a correnteza estava muito forte e por um descuido o menino caiu no rio. O menino não sabia nadar, a correnteza o arrastava cada vez mais rápido e o pai desesperado pediu a Nossa Senhora Aparecida para salvar o menino.
De repente o corpo do menino parou de ser arrastado, enquanto a forte correnteza continuava, e o pai salvou o menino.

Passarela que liga a Basílica Velha à Nova.

O Homem e a Onça

Um homem estava voltando para sua casa, quando de repente ele se deparou com uma enorme onça. Ele se viu encurralado e a onça estava prestes a atacar, então o homem pediu desesperado a Nossa Senhora Aparecida por sua vida, e a onça virou e foi embora.

Consagração a Nossa Senhora Aparecida na voz de Padre Vitor


**********************************************
BLOG OFICIAL DAS APARIÇÕES DE JACAREÍ-SP-BRASIL

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...