ACESSEM RÁDIO, TV E REDE SOCIAL

Pesquisa

quinta-feira, 13 de julho de 2017

As Aparições de Nossa Senhora Rosa Mística a vidente Pierina Gilli - Montichiari - Fontanelle - Itália - 1947




DIA 13 DE JULHO É O DIA DA SENHORA ROSA MISTICA


A Mãe de DEUS apareceu em Montichiari-Itália como Rosa Mística em 1947 para chamar o mundo à conversão e principalmente, uma maior devoção e retorno a DEUS das almas consagradas
FILME:   VOZES DO CÉU 8
AS APARIÇÕES DE NOSSA SENHORA ROSA MÍSTICA MONTICHIARI-ITÁLIA 1947
 à VIDENTE PIERINA GILLI
www.presentedivino.com.br


Edição e narração do vidente Marcos Tadeu Teixeira
Santuário das Aparições de Jacareí - SP - Brasil

A MEDALHA DA ROSA MISTICA
 

19 de maio de 1970: Medalha de Rosa Mística

(Relato de Pierina Gilli) - Maria Santíssima apareceu, como sempre, com seu manto cândido, peito adornado com três rosas: branca, vermelha e amarelo-ouro. De seu braço direito pende um rosário de grandes dimensões que termina em uma medalha, em vez da cruz. Portanto, tendo os braços abertos, a Virgem mostrou uma medalha redonda dourada em ambas as palmas das mãos.Sobre a da mão direita Pierina viu impressa a figura de Maria, de pé, no topo da escada com as mãos unidas e a cabeça, como sempre, inclinada para a frente, à cima, rodeada por três rosas. Incluindo muitas rosas aos seus pés, espalhados pelas escadas. Na borda da moeda da mão direita estava escrito em latim:

"Rosa Mystica ".

" Na parte de trás de uma das medalhas Pierina observou uma bonita Igreja de cúpula redonda com três grandes portas. No topo estava a inscrição em latim

"Maria, Mater Ecclesiae ",

que significa Maria, Mãe da Igreja

Neste ponto, a Senhora disse:


"Faça cunhar uma medalha segundo este modelo: de um lado "Rosa Mystica" e do outro "Maria Mater Ecclesiae". Eu fui enviada pelo Senhor, que escolheu Montichiari para trazer o dom do Seu amor, o dom da Fonte da Graça e o dom da Medalha do meu amor maternal.Vou intervir na divulgação desta medalha como um símbolo da caridade universal. Meus filhos que me levarem sobre seus corações em todo lugar eu lhes prometo minha proteção maternal cheia de graças, neste momento que querem destruir a veneração tributada a mim. Esta medalha é um sinal de que meus filhos estão sempre comigo. Eu sou a Mãe de Deus e Mãe da Humanidade. Este é o triunfo do amor universal.A bênção do Senhor e minha proteção sempre estará com aqueles que recorrerem a mim.

O TERÇO DAS LÁGRIMAS DE SANGUE MEDITADO
Primeira Aparição de Nossa Senhora com três rosas no peito
13 de julho de 1947

A vidente Pierina Gilli

Texto extraído do Diário de Pierina Gilli:

Eram mais ou menos quatro horas da madrugada do dia 13 de julho de 1947, e eu estava no quarto do hospital de Montichiari.
Estava rezando, pois havia sido avisada por Santa Maria Crucifixa da vinda de Nossa Senhora. Estavam presentes algumas irmãs.
Em um belo momento, chegou Santa Crucifixa, que me convidou para rezar o Ato de Contrição. Depois de alguns minutos de silêncio, dirigiu sua cabeça para o lado direito esperando pela vinda de alguém. Novamente ouvi um suave ruído, como uma suave brisa batendo em uma pessoa, trazendo uma verdadeira alegria, sem saber por quê.
Logo após esse doce aviso, vi uma luz belíssima, muito brilhante, rasgando-se ao meio como uma nuvem que deixa transparecer os raios de sol. No meio dessa luz, vi aparecer uma belíssima senhora vestida de branco, como se o vesti­do fosse feito de um cetim finíssimo; no mesmo resplendor do cândido vestido vi reflexos de luz prateada.
Um manto também de cor branca, amarrado de baixo do queixo, descia da cabeça até os pés, deixando entrever sobre a testa fios de cabelos ondulados de cor castanho-claro. O manto e o vestido tinham a mesma candura e as bordas eram levemente bordadas de ouro. Digo bordadas porque tinham as características de um bordado, mas eram forma­das de outra transparência de luz, cor de ouro, dando a impressão de se tratar de um bordado.
Em sua presença, não fiquei com vergonha por estar repleta de pecados. Pelo contrário, o seu olhar de bondade espalhou em minha alma uma alegria tão grande que exclamei: 'Oh! Como és linda!' Desejava aproximar-me dela para que me levasse para o Paraíso.
Por meio de seu olhar, entendi que esse meu desejo não seria realizado. Então, fui a primeira a falar. Apesar de ter certeza de estar diante de Nossa Senhora, perguntei: 'Por favor, quem é você?' Ela sorriu com complacência. A sua atitude majestosa era um convite à confiança. Com grande doçura, respondeu-me:
«Eu sou a Mãe de Jesus e a Mãe de todos vós.»
Quão magnífico era o rosto de Nossa Senhora! De todas as pessoas que conheci, nenhuma possuía rosto semelhante. Era muito belo, com traços delicados, róseo e olhos escuros. Não sei dizer qual era a sua idade. O seu semblante não era de mocinha. O seu rosto era jovem, majestoso. Calculo que deveria ter entre vinte, vinte e cinco ou até trinta anos pela sua personalidade.
Enquanto estava falando, Nossa Senhora abriu os Braços que até então estavam unidos. Anteriormente, ao realizar esse gesto, e ao mesmo tempo abrindo o manto, mostrava me as espadas cravadas no peito, mas agora não estavam mais lá! No seu lugar, destacavam-se três lindíssimas Rosas de cor branca, vermelha e amarela com reflexos dourados.

Abaixei o olhar espontaneamente e vi no chão as três espadas aos pés de Nossa Senhora, no meio de muitas rosas da mesma cor daquelas que estavam sobre seu peito.
Levantando novamente meu olhar, observei que as rosas do peito tinham se ramificado e formado um nicho.
Nossa Senhora se encontrava no meio daquele lindíssimo roseiral. Foi a primeira vez que a vi fora da luz.
Quanta alegria invadiu meu coração ao vê-la sem as espadas cravadas no coração!
Retomou a palavra com um tom de voz de autoridade, que nos transmitia uma ordem recebida de Deus. Disse:
«Nosso Senhor envia-me para levar uma nova devoção mariana a todos os institutos e congregações religiosas masculinas e femininas, e também aos sacerdotes seculares.»
Então eu pedi uma explicação sobre os sacerdotes seculares. De fato, para mim, frades e padres eram a mesma coisa. Num mesmo instante, Nossa Senhora esboçou um sorriso de complacência, que transmitia confiança, e respondeu-me:

«Os sacerdotes seculares são aqueles que vivem em suas casas, mesmo sendo ministros de Deus, enquanto os ou­tros vivem nos mosteiros ou congregações.»

O seu olhar ergueu-se e espalhou-se como para abraçar algo longe. Sempre sorrindo, continuou a falar:

«Prometo a todos os institutos ou congregações que me honrarem que serão por mim protegidos, terão maior florescência de vocações e menos vocações traídas, me­nos pessoas que ofendem ao Senhor com o pecado mor­tal e grande santidade entre os ministros de Deus.»
Como já falei, Ela não se dirigia somente a mim, mas parecia falar a muitas pessoas que estavam ali, ao meu redor. Disse:

«Desejo que o dia 13 de cada mês seja um DIA MA­RIANO. Este dia deve ser precedido de doze dias de pre­paração, com orações especiais. (Trezena da Rosa Mística)»

Mudando seu semblante, com uma expressão triste, continuou:
«Este dia deve ser de reparação pelas ofensas cometidas, pelas pessoas consagradas, contra o Senhor Jesus que, por seus pecados, fazem penetrar no meu Coração, e no Coração do meu Divino Filho, três agudas espadas.»

 

Retomou o seu suave sorriso e continuou a falar:
«Neste dia eu farei descer sobre os institutos ou congre­gações religiosas que me honrarem muitas graças e san­tidade de vocações. Este dia seja santificado com orações especiais como a Santa Missa, a Santa Comunhão, o Rosário e a Hora Santa. Desejo que o dia 13 de julho de cada ano seja festejado por todos os institutos, e é neces­sário que em todas as congregações ou institutos religio­sos existam pessoas que vivam em espírito de oração para obter a graça de que nenhuma vocação seja traída.»

(Neste momento, parecia que a rosa branca que estava so­bre seu peito brilhava com maior intensidade, como que para confirmar o seu significado. (Oração))
Depois de um momento de silêncio, sempre firme em sua atitude e com as mãos juntas, continuou:
«Desejo também que existam outras pessoas que com generosidade e amor, aceitando os sacrifícios,as provações, as humilhações para reparar as ofensas que Nosso Senhor recebe das pessoas consagradas que vivem em pecado mortal.»

(Neste momento, a rosa vermelha parecia brilhar mais para confirmar seu significado. (Sacrifício))

Em seguida, Nossa Senhora fez um instante de silêncio e retomando, disse:

«Desejo ainda que outras pessoas imolem suas vidas para reparar as traições recebidas por Nosso Senhor por causa dos sacerdotes-judas.»

(Neste momento, a rosa amarelo-ouro possuía maior brilho (Penitência)

Após um momento de interrupção, Nossa Senhora continuou com muita delicadeza e doçura:
«A imolação dessas pessoas obterá do meu coração maternal a santificação desses ministros de Deus e muitas graças sobre suas congregações. Desejo que esta minha devoção seja estendida a todos os institutos religiosos.»

Nossa Senhora ficou silenciosa durante algum tempo depois, com um sorriso de complacência e com olhar dirigido a Santa Maria Crucifixa, disse:



«Escolhi primeiro este instituto porque a Fundadora é a 'Di Rosa', que infundiu em suas filhas o espírito de caridade, e, por isso, essas filhas são todas como pequena rosas, símbolo da caridade.» Aqui esboçou um sorriso de alegria: «Eis por que apresento-me rodeada por um roseiral.»

Eu, em nome da Madre superiora, pedi a Nossa Senhora um milagre externo para testemunhar a sua vinda.
Nossa Senhora respondeu-me tristemente:
«Eu não realizarei milagre externo. O milagre mais claro acontecerá quando essas pessoas consagradas, que há muito tempo, especialmente na época da guerra, perderam seu fervor primitivo, traindo sua própria vocação e merecendo, por seus graves pecados, castigos e persegui­ções, como está acontecendo atualmente na Igreja, ces­sarem de ofender gravemente a Deus e voltarem a reviver o primitivo espírito dos seus Fundadores.»

Depois de dizer essas palavras, Nossa Senhora ficou em silêncio e passou a palavra para Santa Crucifixa, que se expres­sou gentilmente.

Enquanto Santa Maria Crucifixa falava e fazia as últimas recomendações, Nossa Senhora, ainda mais sorridente e muito humilde, parecia dizer que sua tarefa de mensageira estava terminada, mas com um pequeno sinal acenava para se cumprir o que Santa Maria Crucifixa recomendava. Vagarosamente, a luz enfraqueceu e a linda figura de Nossa Senhora e a de Santa Maria Crucifixa desapareceram do meu olhar.

A Trezena da Rosa Mistica é uma oração ensinada e pedida por Ela mesma nas aparições de Montichiari, Itália, no ano de 1947, para a enfermeira Pierina Gilli e depois nas Aparições de Jacareí. A própria Mãe de Deus ordenou que o vidente Marcos Tadeu gravasse a Sua Trezena. Deve ser feita do dia 1º ao 13 de cada mês conforme a ordem de Nossa Senhora. A Trezena gravada pelo vidente Marcos Tadeu é a primeira Trezena gravada de que se tem notícia no Brasil e talvez no mundo inteiro. É só seguir dia por dia e no dia 13 voce terá completado toda a oração da Trezena.











décimo primeiro dia: http://gloria.tv/?media=256898

décimo segundo dia: http://gloria.tv/?media=256901

décimo terceiro dia: http://gloria.tv/?media=256947
****************************************************************

Jacareí, 13 de Julho de 2006

59° Aniversário das Aparições de Montichiari-Itália

(Apareceram neste dia Nossa Senhora, Pierina Gilli a vidente da Rosa Mística em Montchiari e Fontanelle 1944-1991 e a Irmã Amália, vidente de Nossa Senhora das Lágrimas de Campinas, 1929-1932)

(Maria Santíssima)

“- Estas são as duas servas das Minhas Lágrimas. Elas vieram hoje comigo para te saudar e te abençoar você que é o continuador da devoção das Minhas Santas Lágrimas ao mundo e o Consolador do Meu Coração Imaculado.”(pausa)

(Maria Santíssima) “-Eu sou a Rosa Mística, Eu sou a Mãe de Deus, por meio destas Aparições aqui continuo e termino a obra que comecei em Fátima e em Montchiari. O meu Coração elegeu este lugar e você meu filho, e por meio da TREZENA estou salvando muitas almas que estavam sob o domínio de Satanás. Eu estou particularmente consolada hoje pelas orações, TREZENAS e sacrifícios que fizeram. Eu realizarei a minha grande obra de salvação por meio deste local, espalhando a minha mística luz nas almas do mundo inteiro. Aqui, onde sou mais consolada e plenamente ouvida, eu vou realizar as maravilhas do meu Coração Imaculado vencendo satanás e produzindo a minha maior vitória. Avante. Rezem. Continuem com as orações e com a TREZENA. Vençam o inimigo com o Rosário . Só por meio dele, do Rosário, virá a Paz. A todos abençôo de Fátima Montchiari e Jacareí.”

(Relato-Marcos) “-Em seguida, Santa Pierina Gilli disse-me:”

(Pierina Gilli)

“-Marcos, Eu Sou Pierina Gilli e Sou a sua protetora. Eu protejo também todos os peregrinos deste Santuário e todos os que divulgam as Mensagens da Mãe de Deus. Eu rezo constantemente nesta Capela por todas as pessoas que aqui vem e que divulgam as Mensagens da Mãe de Deus. Marcos, continue fiel à Mãe de Deus e não esmoreça jamais. Eu estou com você, sempre e nunca o deixarei. Estarei sempre ao seu lado, sempre! A paz, Marcos!”

(Relato-Marcos) “Em seguida, Pierina abriu os braços num gesto de acolhida e proteção para mim. No começo da Aparição, Eu perguntei à Mãe de Deus quem era aquela outra jovem luminosa ao Seu lado esquerdo, pois A do lado direito, Pierina Gilli, eu já conhecia. A própria Virgem me mandou perguntar à jovem luminosa; eu o fiz, e ela respondeu-me:”

(Amália Aguirre)

“Eu Sou Amália Aguirre, a vidente Mensageira da Senhora das Lágrimas.” Depois das Mensagens de Maria Santíssima e de Pierina, Santa Amália disse-me: “-Marcos, você foi eleito pela Mãe de Deus para continuar a divulgar as Mensagens que a Senhora das Lágrimas me comunicou. O que Eu não pude fazer, pois fui muito obstaculizada, você deverá fazer agora. Os homens obstaculizaram-me de todas as maneiras, e eu, embora quisesse muito, não pude tornar as Mensagens conhecidas. Você deverá agora fazer a devoção à Senhora das Lágrimas ser conhecida por todos, e para isso, você deve mandar fazer a imagem da Senhora das Lágrimas, tal como Me aparecia, e também a Medalha da Senhora das Lágrimas com Jesus Manietado, e divulgar tudo junto com as Mensagens. A imagem da Senhora das Lágrimas deve ser colocada aqui na Capela, para que seja venerada por todos. Marcos, se você divulgar as Mensagens da Senhora das Lágrimas com a Medalha e a Imagem, grandes graças de conversão acontecerão! Em frente! Eleito, adiante! Eu estarei sempre com você! Sempre! A paz!” Em seguida, Pierina Gilli disse-me: “- Marcos, é chegada a hora em que você deve mandar fazer a Medalha da Senhora Rosa Mística e o Santo Escapulário Verde, para que a ação extraordinária da Mãe de Deus se espalhe mais rapidamente na terra, e o desígnio de salvação Dela se realize. Eleito! A paz! Eu estou e estarei sempre com você!”

(Relato-Marcos) “-Por fim, a Mãe de Deus, Santa Pierina e Santa Amália abençoaram-me e aos presentes na capela e desapareceram.”

************************************************************
PIERINA GILLI - A VIDENTE

Nasceu em 03 de agosto de 1911, Pierina Gilli, na Itália, em Montichiari, região de Brescia, no vilarejo de São Jorge e ela morreu com cerca de 80 anos, em 12 janeiro de 1991 na localidade de Broschetti. Seu pai, Pancrácio Gilli , era um camponês. Sua mãe, Rosa Bartoli (morreu em 1962) criou os nove filhos na pobreza e no temor a Deus. Destes, três eram de um primeiro casamento e seis filhos de um segundo casamento após a morte do primeiro marido em 1918 como resultado da Primeira Guerra Mundial. Pierina foi a primeira filha de nove irmãos.



 Pierina (foto à esquerda), junto com seus pais e irmãos do casamento da mãe.


Nada de extraordinário foi a infância de Pierina. No entanto pertencia à categoria de almas privilegiadas pelo carisma das revelações privadas; almas caracterizadas pela simplicidade, a pobreza e o sofrimento. Sofrimentos que para Pierina estavam ligados num primeiro momento com a pobreza, a doença, a morte de seu pai, a internação em um orfanato e depois começou a sofrer, ela mesma a mensagem de Maria "Rosa Mística": oração, sacrifício e penitência. 
O primeiro grande sofrimento foi quando aos sete anos ela viu seu pai voltar, debilitado por sua detenção, no final da Primeira Guerra Mundial. Ele voltou não para a ser a alegria da família, mas para morrer pouco depois no hospital.
De 1918 a 1922 Pierina viveu no orfanato das Irmãs da Caridade, onde aos oito anos, ela recebeu a Primeira Eucaristia. Aos onze anos, teve de regressar à sua família: a mãe voltou a se casar e precisou da ajuda de Pierina, sendo a irmã mais velha, para cuidar dos menores e novos irmãozinhos.
Aos doze anos sua família dividiu um casebre com outra família e Pierina teve sua pureza ameaçada, sendo socorrida pela graça divina.
Com 17 anos passou por uma crise, quando trabalhava em um estabelecimento, desviando-se do caminho da santidade, superando-a com a ajuda de seu Confessor, relembrando compromisso de ser inteiramente de Deus.
Aos 18 anos, cuidava das crianças na creche municipal e, um bom jovem propôs-lhe casamento, sendo provada por seu confessor. Foram dois meses para Pierina de grande crise interior, sendo depois confirmada sua vocação religiosa.


Pierina (a primeira de pé a esquerda da foto) com a mãe e o pai do segundo casamento.




Pierina (segunda da esquerda) com as suas 4 irmãs


Aos vinte anos ela estava prestes a realizar seu próprio desejo e ser aceita entre as postulantes das Servas da Caridade, quando ela foi atingida por uma pneumonia (pleurite), seguida de longos meses de convalescença. Depois disso ela não estava em condições de disputar com as candidatas, pois o trabalho era forçado. Em vez disso, encontrou um emprego adequado às suas forças no Carpenedolo, como empregada doméstica do Padre José Brochini, que tinha uma mãe cega de oitenta anos de idade. Ali esteve até a idade de 26 anos, de 1931 a 1937. Foram para ela anos serenos, junto ao sacerdote e sua mãe anciã na oração, na meditação e na leitura espiritual.
Com a morte da mãe do sacerdote, quis se despedir para seguir sua vocacão. Entretanto não foi possível, devido a sua frágil saúde.
Em seguida, esteve por dois anos como empregada doméstica em Brescia na Clínica "Villa Blanca" com as Irmãs da Caridade de Santa Antida Thouret.
Aos 29 anos, não se sentindo apta ao serviço no departamento dos homens, se despediu e conseguiu ser aceita no Hospital Civil de Desenzano do Garda, onde prestou serviço as Servas da Caridade. Ali passou quatro anos, durante a Guerra, em relativa serenidade.


Santa Maria Crucifixa di Rosa, fundadora das Servas da Caridade apareceu a Pierina Gilli juntamente com a Senhora Rosa Mistica



Casa doada pelos devotos benfeitores 






Estatua de N. Sra. que se encontra nas proximidades da casa de Pierina

A casa está localizada na localidade de Broschetti, dois quilômetros do centro de Montichiari e três quilômetros da vila de Fontanelle, onde Pierina, pela proibição imposta pela autoridade eclesiástica para não ir a fonte, apesar dos desejos da Virgem. Ela gostaria de acomodar todo os que sofrem e os peregrinos.


A casa de Pierina é um ponto de referência para os peregrinos. A vidente estava sempre pronta para interceder não só para quem pediu a oração, mas, também para consolar, aconselhar e para fazer obras de conversão.

Vi
Vista do Oratório de Pierina no interior de sua casa


 

Altar do Oratório da vidente

 

Imagem de Rosa Mística que se venera no Oratório de Pierina


Particularmente assitia aos doentes, que chegavam a fonte. E fez isso por muitos anos. Os últimos anos de vida de Pierina foram entristecidos por várias doenças até que ela foi obrigada a passar seus dias em uma cadeira de rodas. No final de 1990 o estado de saúde se agravou, e morreu pacificamente em 12 de janeiro de 1991.


F

Quarto e cama onde faleceu Pierina




Tumba de Pierina Gilli no cemitério de Montichiari



 

Tumba de Pierina Gilli há mais de 20 anos




Peregrinos rezando no Oratório da vidente


SALVE MARIA ROSA MÍSTICA!!! 
SANTUÁRIO DE FONTANELLE ITÁLIA


Fotos do Santuário


 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...