RÁDIO MENSAGEIRA DA PAZ: TODOS OS DIAS DAS 07:30 ÁS 00:00

Pesquisa

terça-feira, 12 de junho de 2012

NOSSA SENHORA DA PENHA OU NOSSA SENHORA DA PENHA DE FRANÇA


Nossa Senhora da Penha de França ou Nossa Senhora da Penha é um dos nomes que recebe Maria, mãe de Jesus, que apareceu à Simão Vela no norte da Espanha, numa serra chamada Penha de França.


Lá, sua festa é comemorada no dia 8 de abril, em São Paulo ocorre a cada 8 de setembro, e em Resende Costa, onde é padroeira , comemora-se no dia 1° de setembro.

História


Existe no norte da Espanha uma serra muito alta e íngreme chamada Penha de França, na província de Salamanca, na qual o Rei Carlos Magno teria lutado contra os mouros.

Por volta de 1434, segundo algumas fontes históricas no dia 19 de maio, certo monge francês sonhou com uma imagem de Nossa Senhora que estava enterrada no topo de escarpada montanha,em razão de uma guerra entre franceses e muçulmanos, na qual os católicos escondiam suas imagens para não serem destruídas, cercada de luz e acenando para que ele fosse procurá-la.


Simão Vela, assim se chamava o monge, durante cinco anos andou procurando a mencionada serra, até que um dia teve indicação de sua localização e para lá se dirigiu.

Após três dias de intensa caminhada, pela razão de segundo ele próprio, em seus êxtases ouvir sempre a advertência divina: "Simão, vela e não durma!" (pelo que passou a adotar o sobrenome de Vela, como ficou conhecido), escalando penhas íngremes, o monge parou para descansar, quando viu sentada perto dele uma formosa senhora com o filho ao colo que lhe indicou o lugar onde encontraria o que procurava.

Auxiliado por alguns pastores da região, conseguiu achar a imagem que avistara em sonho.


Construiu Simão Vela uma tosca ermida nesse local, que logo se tornou célebre pelo grande número de milagres alcançados por intermédio da Senhora da Penha, e mais tarde ali foi construído um dos mais ricos e grandiosos santuários da cristantade.

Iconografia da imagem

A imagem comum do título é a do viajante a cavalo, atacado por uma cobra e salvo por um jacaré (versão brasileira do lagarto).

No alto vê-se Nossa Senhora da Penha com o Menino Jesus no braço esquerdo e a mão direita estendida segurando às vezes um cetro.
Esta representação da Virgem Maria é geralmente em pinturas, pois as esculturas mostram somente Maria com o Menino ao colo.

Milagres - Devoção a Virgem da Penha em Portugal

Um tempo após a famosa batalha de Alcácer-Quibir, uma peste assolou Portugal e como a Espanha se livrara do flagelo graças à intervenção de Nossa Senhora da Penha de França, o Senado da Câmara de Lisboa prometeu à Mãe de Deus construir um grandioso templo, se ela livrasse a cidade da moléstia.

Extingui-se a epidemia quase subitamente, a Câmara mandou edificar magnífico santuário naquele local.

Este templo passou a atrair milhares de peregrinos e em certa ocasião um devoto, tendo subido ao alto da penedia vencido pelo cansaço adormeceu.

Uma grande cobra aproximou-se para picá-lo quando um enorme lagarto saltou sobre ele despertando-o a tempo de matar a serpente com o seu bastão.

Essa é a razão pela qual a imagem de Nossa Senhora da Penha tem aos pés um peregrino, a cobra e o lagarto.

Com a expansão ultramarina portuguesa a invocação de Nossa Senhora da Penha de França foi espalhada pelo mundo sobretudo no Brasil onde existem muitas igrejas onde é venerada.

SANTUÁRIO DA PENHA DE FRANÇA, ESPANHA


Voltando à serra da Penha de França em Espanha, dali podemos ver os pássaros de cima. Quanto às vistas, perdemos o horizonte. Podemos contemplar um vastíssimo panorama e descobrir algumas das povoações assim como as diversas serras que a cercam. Sem dúvida que este local é sagrado e só podia albergar um santuário.

Além das vistas encontram-se recantos naturais e agrestes assim como construções das quais aqui descreve-se algumas:

A igreja que acolhe a imagem de la Virgem Morena, de estilo gótico do sec. XV, robusto e primitivo, sem ornamentações, adequado às condições climatéricas do local. 
O ambiente que se respira no seu interior é de um autêntico misticismo ideal para um encontro com o divino.

A imagem está colocada num camarim sobre uma peanha de pedra situada no ponto mais alto da montanha. Se não estiver a decorrer nenhuma Missa é possível passar por de trás do camarim e tocar no manto da Virgem. Por curiosidade, sabe-se que a imagem original foi incorporada nesta em 1890 por se encontrar muito degradada. O portal é do sec.XVII de um estilo sóbrio e austero. A torre é mais tardia, sec. XVIII.


- Santuário da Penha da França:
(da esquerda para a direita)
1- Subida para o santuário.

2- Entrada da igreja.

3- Altar-mor com o camarim onde se venera a Virgem Morena. O peregrino pode subir, por trás, até ao camarim e tocar no manto de N.ª S.ª da Penha.

4- "Nuestra Señora de la Peña de Francia".

5- Nervuras da abobada da nave principal.

6- Nave principal e coro alto.

O convento foi construído nos sec. XV e XVIII. São visitáveis os corredores que ladeiam o pequeno claustro que incorpora uma cisterna de nome “Poço Verde”, para onde vão as águas canalizadas das chuvas ou neves dos telhados.

- Convento e Hospedaria:
1- Entrada do convento.

2- Um dos corredores do claustro onde no lado direito se encontra o acesso ao "Poço Verde".

3- Refeitório adaptado a sala de exposições.

4- Hospedaria no lado oposto ao convento. Observe a forma como construiram as janelas. Devido ao clima agreste do monte onde os ventos são muito fortes optaram por janelas de correr sobre calhas lavradas na pedra.

A Hospedaria situada em frente à fachada do santuário está hoje convertida numa unidade hoteleira e onde se podem comprar “recuerdos”.

A Plaza, de planta irregular, construída entre a abside da igreja e a capela de La Blanca. No centro encontra-se “El Rolo” símbolo da autoridade civil do santuário sobre os povos das redondezas.


Plaza, “El Rolo” e Capela La Blanca:
1- Torre do santuário num dos cantos da Plaza.

2- Plaza onde no meio se situa "El Rolo" e ao fundo a capela La Blanca.

3- Altar-mor da capela La Blanca.

4- Nervuras de belo efeito do tecto da capela La Blanca.

5- Marco indicando o protectorado da Virgem a Portugal e às antigas possessões portuguesas.

6- Interior da gruta no subsolo da capela La Blanca.

Existem várias capelas destacando-se a de La Blanca do sec, XVI construída sobre a gruta onde foi descoberta a imagem da virgem. Faz-nos lembrar o nosso santuário da Nazaré com a sua capelinha onde no seu interior também se encontra uma gruta que guardava também a imagem da Virgem.

Tem um tecto magnífico com diversas nervuras e a descida à gruta é feita por umas estreitas e íngremes escadas de pedra. O mistério mistura-se com o sagrado.

Veneração da Virgem da Penha no Brasil

ESPÍRITO SANTO

No Brasil, a devoção veio trazida pelos portugueses, nossos colonizadores. A primeira ermida em sua honra foi erguida em Vila Velha, na antiga Capitania do Espírito Santo, entre 1558 e 1570 pelo Frei Pedro Palácios, um espanhol fervoroso devoto da santa. Depois foi erguida a da Penha do Irajá (1635).
Igreja e Convento da Penha no Espírito Santo

RIO DE JANEIRO

A segunda ermida surgiu após a fundação da Fazenda Grande ou de Nossa Senhora da Ajuda, na freguesia de Irajá, no Rio de Janeiro.
Na cidade de São Paulo, em 1667, foi erguida uma pequena capela em devoção a Nossa Senhora da Penha de França e, em seu entorno, desenvolveu-se um dos bairros mais antigos, populosos e tradicionais da capital paulistana: a Penha de França, que, atualmente, abriga a antiga igreja matriz (na região conhecida por "igreja velha") e a basílica (conhecida por "igreja nova"), cuja pedra fundamental foi lançada em 1957.


Ambos os templos são dedicados a Nossa Senhora da Penha de França e sua data festiva é celebrada a cada dia 8 de setembro.


LENDA DA DEVOÇÃO
Tudo começou no início do século XVII, por volta do ano de 1635, quando o Capitão Baltazar de Abreu Cardoso ia subindo o Penhasco (grande pedra) para ver as suas plantações, uma vez que era proprietário de toda a área no entorno do atual Santuário.

De repente foi atacado por uma enorme serpente. Baltazar, que era devoto de Nossa Senhora, quando se viu só e incapaz de se defender, pediu socorro a Nossa Senhora gritando: "Minha Nossa Senhora, valei-me!".

Nesse preciso momento surgiu um lagarto inimigo das serpentes, e travou-se uma luta mortífera entre os dois animais. Baltazar por sua vez, não perdeu tempo e fugiu.

Depois de se recuperar do susto, Baltazar reconheceu que o lagarto apareceu precisamente no momento em que ele pediu a proteção da Virgem Maria. Agradecido, por tão importante gesto maternal, Baltazar construiu uma pequena capela onde pôs uma imagem de Nossa Senhora. 


Se antes o Capitão Baltazar subia o penhasco para ver as suas plantações, a partir daí passou a subir também para agradecer tão primoroso gesto de carinho que a Mãe do Céu teve para com ele.

Assim como ele, também os seus parentes, amigos e vizinhos e até mesmo pessoas curiosas, que à distância viam a pequena capela, passaram a subir a grande pedra (daí vem a palavra Penha) uns para pedir e outros para agradecer graças alcançadas por intercessão da Senhora do alto do Penhasco – Penha.

De tanto as pessoas dizerem: vamos à Penha visitar Nossa Senhora, passaram a dizer: vamos visitar Nossa Senhora da Penha.

A devoção à Nossa Senhora da Penha foi se espalhando e cada vez era maior o número de pessoas que visitavam este lugar sagrado e encantador. Umas para pedir e outras para agradecer a sua intercessão.

O capitão Baltazar doou todas as suas propriedades a Nossa Senhora da Penha, havia necessidade, porém, que alguém, com crédito, administrasse responsavelmente esse patrimônio.

Foi criada então a Venerável Irmandade de Nossa Senhora da Penha no ano de 1728 a qual com muito zelo e dedicação demoliu a primeira capela - muito pequena - e construiu outra, com uma torre onde foram colocados dois pequenos sinos.

Mais tarde, no ano de 1870, foi demolida esta capela e construído no seu lugar um novo templo: uma igreja com uma torre e novos sinos. Por volta do ano de 1900 houve uma nova intervenção.

O templo foi ampliado, ganhando duas novas torres, nas quais, mais tarde, foi instalado um carrilhão com 25 sinos de origem portuguesa, adquiridos na Exposição Nacional do 1º Centenário da Independência do Brasil. Este Carrilhão foi inaugurado em 27 de setembro de 1925 com a bênção do então Núncio Apostólico no Brasil, Cardeal Dom Henrique Gasparri.

A Escadaria da Penha

No ano de 1817 subia a pedra um piedoso casal quando a esposa, Sra. Maria Barbosa, comentou com o marido que pediria à Nossa Senhora da Penha para interceder por eles para que Deus lhes concedesse um filho, já que estavam casados há alguns anos e não tinham filhos.
A Sra. Maria Barbosa confiou, pediu e prometeu que se tivesse um filho mandaria esculpir no duro granito do penhasco uma escadaria para facilitar o acesso dos devotos de Nossa Senhora da Penha ao Santuário. No ano seguinte o casal era presenteado com um lindo filho e no ano de 1819 a escadaria estava pronta. São 382 degraus talhados na própria pedra, mais ainda do que o número de dias do ano.
O Santuário hoje

Colocado à entrada da cidade, com o sorriso de Mãe aos que chegam, quer pela Av. Brasil ou Linha Vermelha, quer pela Ponte Rio- Niterói ou mesmo pelo Aeroporto Internacional Tom Jobim, o Santuário de Nossa Senhora da Penha é, por excelência , o trono que Maria, Mãe de Deus, escolheu no Rio de Janeiro, para ser o centro de sua devoção entre nós.
A este Santuário acorrem milhares de peregrinos vindos de todo o Brasil e do exterior, para trazer-lhe os seus agradecimentos por graças alcançadas, ou pedir a sua intercessão.

À medida que vamos subindo a colina sagrada, sentimos que o ambiente se torna mais religioso. São inúmeras as pessoas que sobem a escadaria rezando, sobretudo a oração do terço.


No dia 15 de junho de 1935, por decreto de Sua Santidade o Papa Pio XI, a Igreja de Nossa Senhora da Penha foi agregada à Sacrossanta e Patriarcal Basílica de Santa Maria Maior de Roma. 


No dia 15 de setembro de 1966, o Cardeal Dom Jaime de Barros Câmara, então Arcebispo do Rio de Janeiro, elevou o templo sagrado de Nossa Senhora da Penha à categoria de Santuário Perpétuo.


No dia 31 de maio de 1981, o Cardeal Dom Eugênio de Araújo Sales, atendendo aos desejos de Sua Santidade o Papa João Paulo II, elevou o Santuário de Nossa Senhora da Penha à categoria de Santuário Mariano Arquidiocesano.

SÃO PAULO


Na cidade de São Paulo, em 1667, foi erguida uma pequena capela em devoção a Nossa Senhora da Penha de França e, em seu entorno, desenvolveu-se um dos bairros mais antigos, populosos e tradicionais da capital paulistana: a Penha de França, que, atualmente, abriga a antiga igreja matriz (na região conhecida por "igreja velha") e a basílica (conhecida por "igreja nova"), cuja pedra fundamental foi lançada em 1957. Ambos os templos são dedicados a Nossa Senhora da Penha de França e sua data festiva é celebrada a cada dia 8 de setembro.

MINAS GERAIS

 
Devoção a Nossa Senhora da Penha em Resende Costa/MG: Segundo moradores e fiéis, por volta de 1830, talvez alguns anos a mais ou a menos, o então padre residente em Resende Costa, na época Curato, Pe. Antônio de Pádua, após cumprir suas obrigações religiosas, se dirigia para o casarão da chácara Dr. Gervásio e se colocava a esculpir a imagem da então padroeira de Resende Costa, Nossa Senhora da Penha de França.

Logo no início do trabalho, o padre escultor plantou algumas palmeiras na estrada da chácara, de um lado e outro.
No final do trabalho, tendo a imagem esculpida, a comunidade se colocou em procissão, no dia 1° de setembro (motivo pelo qual Resende Costa dedica esse dia a Nossa Senhora da Penha de França e não o dia 8 de abril, como é próprio da liturgia católica), com a imagem nos ombros, em direção à Igreja Matriz Nossa Senhora da Penha de França, onde passou ocupar o local mais alto do altar-mor, que ocupa até os dias atuais.


BASÍLICA DE NOSSA SENHORA DA PENHA 
DE RECIFE, PERNAMBUCO

Em 1656, o Sr Belchior Alves presenteou sua mulher, Joana Bezerra, com um terreno para a construção da igreja.
Ao seu lado começou a ser erguido, também, um hospício para os frades.
Por questões políticas entre França e Portugal, os frases franceses foram expulsos, e a igreja, abandonada.
Em 1709, os capuchinhos italianos reassumiram as obras.
A Basílica é de estilo coríntio e é o único exemplar do Recife.
Em seu interior, estão pinturas, em afresco, do pernambucano Murilo de La Greca.
Junto ao templo está o Museu Dom Vital, que abriga objetos pessoais do combativo bispo.

A Basílica de Nossa Senhora da Penha, da Ordem dos Frades Menores Capuchinhos, constitui um imponente edifício na paisagem urbana do Bairro de São José – fortemente marcada pela presença das torres sineiras altas e delgadas e da enorme cúpula do transcepto, símbolos de uma forte religiosidade – que norteou a configuração urbana do início da formação da cidade.
A volumetria da Basílica destaca-se no contexto pela sua monumentalidade e singularidade que, além da pertinência como elemento arquitetônico, o partido de planta em cruz, ao gosto românico, coroa a devoção religiosa cristã tão forte na cidade do Recife.

Nossa Senhora da Penha é a Padroeira da Indústria e do Comércio de Recife

IMAGENS DIVERSAS DE NOSSA SENHORA DA PENHA
 
Senhora da Penha de recife

 
Senhora da Penha do rio de Janeiro
Senhora da Penha de França na Espanha 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...