RÁDIO MENSAGEIRA DA PAZ: TODOS OS DIAS DAS 07:30 ÁS 00:00

Pesquisa

sexta-feira, 29 de novembro de 2013

As Aparições de Nossa Senhora em BEAURAING - Bélgica - 1932-1933

As Aparições de Nossa Senhora em BEAURAING - Bélgica - 1932-1933




Nossa Senhora de Beauraing

Dia 29 de novembro aniversário das Aparições
******************************88
FILME: VOZES DO CÉU 5  - AS APARIÇÕES DE BEAURAING (1932) e BANNEUX (1933) NA BÉLGICA
Edição e narração do vidente Marcos Tadeu Teixeira
Santuário das Aparições de Jacareí - SP - Brasil
PEDIDOS PELO TEL: 0XX12 99701 2427
************************************
Os videntes
 
 

As irmãs Andreia e Gilberta Degeimbre, de 14 e 9 anos respectivamente, e outros três irmãos, Fernanda, Alberto e Gilberta Voisin, de 15, 11 e 7 anos.

A mensagem



Na tarde de 29 de Novembro de 1932

As duas irmãs Degeimbre e os dois irmãos Alberto e Fernanda Voisin, dirigem-se para a escola das religiosas, para irem buscar a mais nova dos Voisin, Gilberta. Já tinha caído a noite e fazia frio.

No fim da rua da igreja, onde era a escola das irmãs, elevam-se dois pilares que sustentam um viaduto. Alberto, chegados à parta da escola, volta-se na direcção dos pilares e é aí que vê uma forma branca, semelhante à imagem de Nossa Senhora de Lourdes que estava numa reprodução da gruta de Lourdes, que havia no jardim da escola. Perante a exclamação de Alberto, todas as crianças se viraram e viram uma pessoa vestida de branco que flutuava no ar entre o viaduto e gruta da Virgem de Lourdes. Aparece entretanto a pequena Gilberta à porta da escola e, não sabendo de nada, vê também "uma mulher vestida de branco e de mãos juntas, e que olhava para ela". As religiosas, alertadas pelas palavras das crianças, disseram que uma imagem (a da gruta de Lourdes) não podia mexer e mandaram-nas para casa.
No dia seguinte, o mesmo grupo deslocou-se à escola à mesma hora. Lá estava Nossa Senhora com o mesmo aspecto, deslocando-se no ar.

No dia 1 de Dezembro

Novamente as crianças se dirigiram ao local, seguidas de cerca de doze pessoas entre as quais a mãe Degeimbre munida dum varapau.

A Virgem aguardava as crianças no caminho que vai desde o gradeamento do jardim da escola até à gruta. A visão durou apenas instantes, o tempo de ver uma luz mais intensa que das outras vezes e que a cabeça da virgem estava rodeada duma coroa feita de numerosos raios dourados que lhe cingia a fronte. Tinham também brilhantes olhos azuis que contemplavam as crianças com extrema doçura.

Feitas as inspecções sem sucesso pela Sra. Degeimbre e pelos outros, as crianças preparavam-se para voltar a casa quando deram um grito e, diante delas, em cima duma nuvem junto ao chão, estava a Virgem de mãos juntos e de olhos virados para o céu. As crianças caíram em êxtase. Quando a imagem desapareceu, abrindo os braços para as saudar e abençoar, sempre sem dizer uma palavra, as crianças saíram do êxtase. Mas, poucos passos à frente, viram de novo a Virgem e não foi pela última vez nesse dia. As mães dos videntes decidiram voltar à gruta para mais inspecções, As crianças foram atrás delas e cerca das oito da noite, depois de terem ultrapassado o gradeamento, Alberto, Fernanda e Andreia caíram de joelhos: a Virgem tinha voltado e estava debaixo dum arbusto, um tronco de espinheiro.

A Virgem apareceu neste local mais de 30 vezes. A Madre Superiora proibiu que as crianças fossem à escola no dia seguinte. As crianças obedeceram mas passaram a noite a rezar e a chorar.

Todas as aparições acorreram ao fim do dia, o que deu origem a uma grande afluência. Nos primeiros dias a Santa Senhora parecia esperar pelas crianças. Apareceu-lhes enquanto rezavam o terço. Quando a viram, as suas vozes tornaram-se mais agudas e mais altas parecendo uma só voz. Algumas centenas de pessoas rezavam com elas durante este silêncio puro. As religiosas que escutam esta maravilha, que terão elas pensado? A verdade é que não apareceram e conservaram o gradeamento fechado. Então, em 8 de Dezembro, de manhã muito cedo, confessa-se um grande número de pessoas, muitas delas claramente convertem-se. Um número enorme recebe a comunhão. Depois da missa há uma procissão aos troncos de espinheiro. Começa a vir gente de toda a parte da Bélgica.

Às três horas da tarde, o terreno do convento está cheio de gente, bem como a rua. A polícia mantém a ordem e entoa-se o cântico: "Estende as tuas mãos abençoadas sobre toda a Bélgica". O espaço em torno dos espinheiros está cheio de velas acesas e então, o gradeamento do convento é fechado o que não foi muito fácil. As velas são apagadas e a polícia continua a patrulhar o lugar para proteger a propriedade das religiosas e impedir que as pessoas forcem o gradeamento.

Às 18 horas, as crianças chegam e ouve-se uma voz que diz: "Ela está aqui!!" Caem de joelhos e rezam a Avé Maria. Pedem a Nossa Senhora que fale mas ela faz só um sorriso. Então todos rezam o terço inteiro e a aparição permanece visível durante todo o tempo.

Há seis médicos que querem ver as crianças e examiná-las. Passam uma lâmpada eléctrica diante dos olhos de uma das crianças, um médico enfia uma agulha profunda noutra criança e coloca um fósforo aceso em cima da mão de uma das meninas, o fósforo arde até ao fim, mas não aparece nenhum sinal de queimadura. Os médicos concordam todos que as crianças estão em êxtase total.

As crianças são interrogadas em separado, mas não surgem diferenças entre o que cada uma diz. É admirável escutar o que a mais nova diz quanto à aparência da Senhora. Mas as pessoas perceberam que Nossa Senhora apareceu.

Finalmente, a Senhora diz quem é, respondendo a uma pergunta de Alberto:


Sou a Virgem Imaculada.

E Alberto continua: "Que quer de nós?"

A Virgem responde:


Quero que sejais sempre muito bons.

Em 23 de Dezembro, diz:


Queria que se construísse aqui uma igreja para que as pessoas possam vir em peregrinação.

Em 29 de Dezembro, Fernanda ouve dizer-lhe:


Rezai sempre.

Ao mesmo tempo, Fernanda vê aparecer sobre o peito da Virgem um coração de ouro resplandecente.

E também em 2 de Janeiro, Nossa Senhora diz:


Amanhã direi a cada um de vós, algo de muito especial.

Em 3 de Janeiro é o último dia das aparições e definitivamente o dia mais importante para os anúncios. Alberto recebe um segredo que nunca revelou e sua irmã Gilberta também.

Mas Gilberta, a mais crescida, ouve a grande promessa de Beauraing:


Converterei os pecadores.

E a Andreia, confirma a sua identidade:


Sou a Rainha do Céu e a Mãe de Deus. Rezai sempre.

A Fernanda, que ao princípio não se tinha dado conta de nada e que por isso continuava a rezar mais afincadamente, Nossa Senhora disse:


Amas o meu Filho? Amas-me? Então oferece-te a mim!

******************************************************************



Papa João Paulo II ajoelhado em frente a imagem de Nossa Senhora de Beauraing

Reconhecimento pela Igreja



Em Fevereiro de 1943, D. Charue autorizou a devoção pública a Maria, em Beauraing, mas foi apenas em 1949, depois da Segunda Guerra Mundial, que o santuário foi oficialmente reconhecido e que saíram dois documentos importantes. O primeiro tratava de duas das muitas curas que tiveram lugar em Beauraing, declarando-as milagrosas.

O segundo documento era um carta dirigida ao clero em que o bispo dizia "estamos habilitados para dizer com toda a serenidade e prudência que a Rainha do Céu apareceu às crianças de Beauraing, durante o Inverno de 1932-1933, especialmente para nos mostrar com o seu coração maternal, o apelo intenso à oração e a promessa da sua poderosa mediação pela conversão dos pecadores."

Aparições de Nossa Senhora em Beauraing


Aparições reconhecidas pela Igreja em 1949. Beauraing pronuncia-se “bôrran” e é um pequeno povoado da Bélgica. Nossa Senhora apareceu 33 vezes em Beauraing. Na maioria dessas aparições, ela não disse nada, apenas sorria para os videntes nessas aparições em frente à escola. Todas as mensagens de Nossa Senhora em Beauraing foram apenas pequenas frases, mas muito significativas. Veja como foram todas as aparições de Beauraing:


1ª aparição, 29 de novembro de 1932: Ao anoitecer deste dia, pelas 18h30min, Fernande Voisin, 15 anos e seu irmão Albert, 11, foram buscar sua irmã Gilberte, 13, na escola das Irmãs da Doutrina de Cristo. Eles estavam com as amigas Andrée Degeimbre, 14, e sua irmã Gilberte de 9 anos. Em frente esta escola, havia uma ponte e um jardim com algumas árvores. Ventava e fazia muito frio. As crianças tocaram a campainha e esperaram a irmã buscar Gilbert. Enquanto isso, Albert vê Nossa Senhora no jardim, pairando no ar perto da ponte. Ele conta para as meninas e elas pensam que é brincadeira. Como o menino não pára de olhar, elas também olham e vêem a aparição. Assustadas, as crianças batem com força na porta da escola chamando por socorro. A irmã Valérie chega para ver. As crianças lhe mostram onde está Nossa Senhora, mas a irmã não vê nada e diz que é uma besteira. Mas Gilberte Voisin chega e também vê a aparição. Todos voltam para casa preocupados e contam o ocorrido aos familiares. Eles não acreditam e dizem que é uma bobagem. As crianças ficam tristes, choram e rezam.

2ª aparição, 30 de novembro de 1932: As crianças voltaram na mesma hora à escola para buscar Gilbert e Nossa Senhora apareceu por alguns instantes sobre um espinheiro sem dizer nada, apenas sorria. Ela era uma linda moça de uns 20 anos. Tinha a pele e lábios rosados, sobrancelhas pretas. Usava um vestido branco com tons azulados e um longo véu branco na cabeça. Ela tinha as mãos postas e os olhos azuis. Raios finos e dourados saíam de sua cabeça formando uma coroa.

3ª, 4ª, 5ª e 6ª aparição, 1º de dezembro de 1932: Nossa Senhora aparece novamente acima da ponte. Desaparece e reaparece no arbusto de azevinho. Ela desaparece e reaparece de novo debaixo da árvore de espinheiro. Ela sorriu para as crianças, mas não disse nada.

7ª aparição, 2 de dezembro de 1932: As crianças perguntam: "A Senhora é a Virgem Imaculada?” Ela acena afirmativamente com a cabeça. As crianças perguntam também: "O que a Senhora quer de nós?" A Senhora responde: "Sejam sempre bons." As crianças respondem humildemente: "Sim, nós seremos sempre bons."

8ª aparição, 2 de dezembro de 1932: Mais tarde desta mesma noite, pelas nove horas, as crianças voltam. A Senhora aparece e é ela quem pergunta: "Vocês serão sempre bons?" As crianças respondem: "Sim, nós sempre seremos." A palavra que Nossa Senhora usou em francês na ocasião foi “sages”, que significa “sábios”, mas corresponde ao nosso “bons”.

9ª aparição, 4 de dezembro de 1932: Nossa Senhora aparece com as mãos cruzadas, olha para o céu ou olha para as crianças. As multidões começam a ir a Beauraing para as aparições. Os pais ficam muito preocupados. Pressionam as crianças severamente e elas choram.

10ª aparição, 4 de dezembro de 1932: As crianças pedem: "Se você é a Virgem Maria, pedimos que cure o nosso pequeno amigo, Joseph, e o tio de Andree." Mas Nossa Senhora não responde. As crianças perguntam: "Que dia a Senhora voltará?" Ela responde: "No dia da Imaculada Conceição.”Perguntam: "Devemos construir uma capela?" Ela diz: "Sim.”

11ª aparição, 5 de dezembro de 1932: As crianças pedem para a Senhora fazer um milagre à luz do dia, mas ela não responde. Perguntam quando devem voltar. Ela responde: “À noite.”

12ª aparição, 5 de dezembro de 1932: A Senhora apareceu novamente à noite com as mãos entrelaçadas e olhava para o céu. De repente, abriu os braços. É pequena, bonita e jovem. Sua voz é suave. Não segura um Terço e as crianças não vêem o cabelo dela.

13ª aparição, 6 de dezembro de 1932: Nossa Senhora segurava um Terço pela primeira vez. As crianças eram interrogadas o dia todo. Todos os que falaram com elas, acharam-nas muito simples e sinceras.

14ª aparição, 6 de dezembro de 1932: Nossa Senhora voltou apenas para dizer: "Venham no dia da Imaculada Conceição.”

15ª aparição, 7 de dezembro de 1932: A Virgem apenas olhou para o céu. As multidões continuam vindo em número cada vez maior.

16ª aparição, 8 de dezembro de 1932: Nesse dia da Imaculada Conceição, Nossa Senhora estava linda. Não disse nada, mas estava mais brilhante do que nos outros dias, segundo as crianças. Uma multidão enorme de pessoas estava presente. Nos dias seguintes, as pessoas de toda a Bélgica continuaram a vir para rezar no local e hora das aparições, mas Nossa Senhora não apareceu.

17ª aparição, 13 de dezembro de 1932: Nossa Senhora voltou a aparecer para as crianças, pressionadas o dia inteiro por interrogatórios, mas não disse nada.

18ª aparição, 14 de dezembro de 1932: Nossa Senhora apenas sorriu para seus humildes videntes e os olhava com seus belos olhos azuis, cheios de bondade. Ela não voltou nos dois dias seguintes, apesar do povo que deseja sua aparição.

19ª aparição, 17 de dezembro de 1932: As crianças perguntam: "Em nome do clero, o que podemos fazer por você?" A linda moça responde:"Uma capela.” Nossa Senhora não apareceu no dia seguinte.

20ª aparição, 19 de dezembro de 1932: As crianças contam: "Ela não tem cinto, mas reflexos azuis. Ela permaneceu em silêncio, sorrindo, olhando agora para o céu, agora para nós. Somos forçados a cair de joelhos.”

21ª aparição, 20 de dezembro de 1932: Nossa Senhora volta novamente alegre e sorridente. O povo espera alguma mensagem, mas ela não disse nada nessa noite. Ela aparece e desaparece abruptamente, como luz elétrica, na descrição infantil dos videntes.

22ª aparição, 21 de dezembro de 1932: Os videntes perguntam: "Diga-nos quem você é, diga-nos o seu nome?" Ela responde: "Eu sou a Virgem Imaculada.”

23ª aparição, 22 de dezembro de 1932: Nossa Senhora veio silenciosa. Tem as mãos entrelaçadas e abre os braços antes de desaparecer. Veio usando um Terço no braço e sorriu para todos.

24ª aparição, 23 de dezembro de 1932: As crianças perguntam: "Por que aparece aqui em Beauraing?" Ela responde: "Para que venham aqui em peregrinação.” "Se você é a Virgem Imaculada, podemos esperar algo em breve? Você vai nos dar um sinal?" Nossa Senhora não responde.

25ª aparição, 24 de dezembro de 1932: Muitas pessoas estão presentes na cidade durante todo o dia. O povo esperava alguma mensagem espetacular, mas Nossa Senhora não deu mensagem hoje e não voltou nos dois dias seguintes.

26ª aparição, 27 de dezembro de 1932: Muitas pessoas não entendem a maneira das aparições. E Nossa Senhora voltou nesse dia sem dar mensagens nem explicar suas aparições.

27ª aparição, 28 de dezembro de 1932: Nossa Senhora avisou para as crianças: "Em breve será a minha última aparição. Em breve será a última vez que eu venho."

28ª aparição, 29 de dezembro de 1932: Quando Nossa Senhora abriu os braços, no peito onde normalmente tem as mãos juntas, havia um Coração de ouro, brilhante e cercado por pequenos raios. Ela voltou com seu Coração dourado nos dias seguintes. Nossa Senhora de Beauraing é conhecida como a Virgem do Coração de ouro.

29ª aparição, 30 de dezembro de 1932: Nossa Senhora deu a pequena mensagem: “Rezem, rezem muito.”

30ª aparição, 31 de dezembro de 1932: A Senhora veio, mas não deu mensagem.

31ª aparição, 1º de janeiro de 1933: Nossa Senhora disse: “Rezem sempre.”

32ª aparição, 2 de janeiro de 1933: A Senhora avisa: "Amanhã, eu vou dizer uma coisa para cada um de vocês individualmente."


33ª e última aparição, 3 de janeiro de 1933: Nossa Senhora contou um segredo a Albert, Gilbert Degeimbre e a Gilberte Voisin. Depois diz a Gilberte: "Vou converter os pecadores." Ela disse a Andrée: “Eu sou a Mãe de Deus, a Rainha dos Céus. Rezem sempre." Ela disse a Fernande Voisin: “Você ama o meu Filho? Você me ama? Sacrifique-se por mim." Nossa Senhora abriu os braços mostrando a todos os seu Coração de ouro e se despediu dizendo: "Adeus.”

Devemos lembrar que o fato de Nossa Senhora sorrir já é uma mensagem de alegria e esperança. Quando ela não responde a alguma pergunta feita pelas crianças é porque não devemos nos preocupar com aquele assunto. E as palavras que ela disse são de grande importância e profundidade. Depois do término das aparições, os videntes sofreram muitas dificuldades. 

Moradores da cidade e o próprio sacerdote da paróquia não acreditavam. Muitos não entendiam porque Nossa Senhora falou poucas palavras e não fez nenhum sinal espetacular como em Fátima. Mas as multidões continuaram indo ao local das aparições e curas milagrosas começaram a acontecer pela intercessão de Nossa Senhora de Beauraing. 

O bispo de Namur nomeou uma comissão para investigar os fatos em 1935 e essas aparições foram reconhecidas como autênticas em 1949. Em 1954, ficou pronto o Santuário pedido por Nossa Senhora e que hoje atrai milhões de visitantes todos os anos. 

Todos os videntes se casaram e tiveram filhos. Andrée Degeimbre teve 3 filhos. Era sensível e fiel, sempre rezava o Terço com o povo às 18h30min, hora das aparições, mesmo debaixo de neve. A última vez que rezou em público foi em 29 de novembro de 1977, 45º aniversário das aparições. Ela morreu em 1978, com 60 anos. Fernande Voisin teve 5 filhos e se tornou enfermeira. Morreu de câncer em 1979, aos 62 anos. Gilberte Voisin casou-se, mas ficou viúva com os 2 filhos. Ela morreu aos 83 anos, num acidente em Beauraing no dia 3 de janeiro de 2003, no mesmo dia da aparição em que Nossa Senhora lhe disse a linda frase: “Vou converter os pecadores.” Albert Voisin se tornou professor e teve 3 filhos. Morou na Irlanda, Alemanha, Congo Belga e voltou para Beauraing onde morreu em 23 de dezembro de 2003, com 82 anos após longa enfermidade e na mesma data de uma das aparições. Gilbert Degeimbre casou-se com um italiano, tem 2 filhos e mora atualmente em Beauraing. 

A frase dita por Nossa Senhora a Fernande pode ser traduzida para o plural também, ficando: "Vocês amam o meu Filho? Vocês me amam? Sacrifiquem-se por mim!"
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...